Menu fechado

União para Desenvolver Santa Maria – por Giuseppe Riesgo

A democracia tem seus problemas e, obviamente, pode (e deve) ser aperfeiçoada. Logo, eu não estaria com Nelson Rodrigues que julgava a democracia como um sistema que trazia a força numérica dos idiotas. Ou mesmo, com Benjamim Franklin, que vislumbrava nesse sistema um banquete sendo decidido por dois lobos e uma ovelha sobre o que comer no jantar. Se eu fosse tentar definir, provavelmente, ficasse com Churchill: que considerava a democracia a pior forma de governo, com exceção de todas as demais.

Enfim, para além das inúmeras definições sobre o tema e os defeitos inerentes aos sistemas políticos disponíveis, dessa vez eu ressaltarei as virtudes. Isso porque, há meses, Santa Maria se uniu democraticamente no entorno de uma única pauta: a vinda da Escola de Sargentos e Armas (ESA) para nossa cidade.

O processo de escolha se encaminha para uma decisão e, por isso, nessa semana recebemos a visita do General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira para fazer uma última vistoria em nossa cidade. O intuito era apresentar um compromisso público definitivo dos diversos agentes políticos e civis e, assim, assegurar os investimentos e a disponibilidade da infraestrutura e da logística de Santa Maria para receber esse enorme projeto aqui no centro do Estado. O general pôde perceber a união da cidade em prol do projeto e o entusiasmo dos santa-marienses em abrigar mais essa base militar por aqui.    

Contudo, o que mais me alegrou foi o clima de harmonia da cidade em torno desse projeto. As disputas políticas e econômicas ficaram de lado e Santa Maria se mostrou preparada e coesa em torno do tema. Mostramos nossa clara capacidade socioeconômica, logística e estrutural para receber a ESA e, assim, evidenciamos nossas vantagens perante Recife (PE) e Ponta Grossa (PR). Mas, acima de tudo, Santa Maria mostrou-se sinérgica e, assim, nossas virtudes afloraram. Elementos que emergiram à luz de um espírito democrático que, reitero, nos uniu.

Eu sempre tive a convicção que Santa Maria pode muito mais. Eu espero que esse movimento singular para a vinda da ESA tenha deixado um legado em prol de uma cidade democrática, livre e, ali na frente, mais desenvolvida.

A Escola de Sargentos e Armas pode ter sido um primeiro passo para Santa Maria reencontrar o rumo do crescimento e de uma maior qualidade de vida para sua gente. Contem comigo nessa caminhada rumo a uma democracia mais madura e a uma Santa Maria melhor para se viver.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *