cdc-thumb.jpg

Atualizado em 06/07/2020

No dia 10 de maio de 2020, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, publicou o Decreto 55.240 que institui o Sistema de Distanciamento Controlado.  Com os objetivos de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo Coronavírus, o decreto apresenta o modelo de distanciamento social controlado e o mapa com as bandeiras de classificação das 20 regiões, implementados a partir do dia 11 de maio em todo o Estado.


Baseado em um processo de segmentação regional e setorial, o Distanciamento Controlado prevê quatro níveis de restrições, representados por bandeiras nas cores amarela, laranja, vermelha e preta, que variam conforme a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada uma das 20 regiões pré-determinadas.

Bandeiras vigentes de 07/07 a 13/07

 
 
comercio.jpg
 
Compras.jpg
 

Além disso, existem três tipos de protocolos que devem ser observados:

Teste.jpg

Nos primeiros 100 dias a partir da confirmação do primeiro caso no RS, foram realizados 50.245 testes, ou seja, apenas 14,4% do total de testes.

Desde a confirmação do primeiro caso, até o dia 17 de junho de 2020, a média de aplicações é de 728 testes por dia.

Juntando todos os tipos de testes no RS, com resultados, até 17 de junho são 79.439 com resultado.

RS tem uma população de 11,37 milhões de pessoas, é um teste com resultado para cada 143 habitantes do RS.

29/02/2020

primeiro caso de Covid-19 no RS

03/04/2020

RS começa receber testes do Governo Federal

14/04/2020

Governo do estado distribui remessas de testes aos 497 municípios gaúchos

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde do RS, em 17 de junho, são 348.460 testes recebidos do governo federal.

 
 
 
 
chart-close-up-data-desk-590022 (1).jpg

1 - Utilizar o modelo e os indicadores como instrumentos e não como único fator para a tomada de decisão;

2 - Considerar a capacidade futura de leitos prevista no plano de contingência estadual e não apenas o número atualmente existente;

3 - Viabilizar um aumento significativo da testagem e nas políticas de rastreamento da COVID-19;

4 - Incentivar decisões descentralizadas (aumento de testagem por setores da economia ou municípios precisa ser “premiado”);

5 - Mudar os pontos de corte na definição das bandeiras finais das regiões para que não tenhamos “pulos” tão drásticos de uma nível para outro; 

6 - Inserir uma bandeira adicional no modelo de distanciamento controlado, que fique numa posição intermediária entre a laranja e a vermelha;

7 - Maior contato com prefeitos para entender as realidades locais e evitar que decisões sejam unicamente centralizadas.

 

Deputado Estadual pelo Partido NOVO Giuseppe Riesgo

Todos os direitos reservados

(055)-99154-4718